terça-feira, 3 de setembro de 2013

Marcio Fonseca entrevista Kakati De Paiva



Com especial agradecimento a Marcia Zoé Ramos.




Quem é Kakati De Paiva ?
Nasci no Rio de Janeiro em 57, onde vivo e trabalho. Sou formado em arquitetura na Universidade Santa Ursula , RJ.Sempre estive ligado a arte ,fiz minha primeira exposição individual de pintura em 1981 e a partir de 1990, participei de vários cursos na Escola de Artes Visuais (EAV) e no MAM. Kakati foi um apelido dado por eu mesmo com 5 anos de idade primeira aula de judô...Já era pertubado com 5 anos, pois o ocorrido foi novidade para todos, quando o professor perguntou pelo nome, ali surgia o apelido... Não se tem explicação até hoje de como surgiu... o fato é que esse apelido acabou se fortalecendo de tal jeito que outro dia perguntaram para minha filha ( ela com 8 anos na época, hoje tem 13) :”Você é a filha de José Ricardo Paiva??”Ela respondeu: “Não ,sou filha do Kakati...

Como foi a formação artística?
Durante anos foi apenas um complemento ao lado do arquiteto Kakati, mas por volta de 90 como disse, eu ingressei pela 1.vez na EAV para estudar arte e o primeiro professor da época foi Luiz Ernesto que inclusive hoje é um dos que acompanham meu trabalho.Participei de cursos durante aproximadamente 5 anos, e depois lentamente fui dando continuidade ao fazer artístico e se iniciava ali uma vida ligada a arte onde durante alguns anos a arquitetura subsidiou meu lado artista... E nos últimos 10 anos tenho vivido exclusivamente da arte.

Em 1999, realizei uma exposição individual no Centro Cultural da Caixa e ainda nesse ano, através de um concurso da Funarte, participei de uma exposição internacional coletiva :”2000 reasons to love the Earth”. Foundation Zeezigt . Netherlands .

Em 2010, realizei uma exposição individual na Galeria BNDES com curadoria de Christina Penna e, já participando de algumas exposições inclusive fora do Brasil, senti falta não só de retomar meus estudos em arte, mas em um desenvolvimento conceitual do trabalho, então retornei a EAV e novamente recomecei a participar de vários cursos ( Franz Manata, Charles Watson, Luiz Ernesto, Bruno Miguel, José Maria Dias da Cruz, João Magalhães , Lia do Rio e Mauro Trindade – galeria OKO ). Devo ressaltar que não pretendo abandonar esse contato, espero sempre estar presente nesses cursos, nessas trocas.Elas são fundamentais em meu processo criativo.

Em 2011, participei da “1st Edition Contemporaneo Art Biennial Opening.Paris 2011”, Espace Beauropaire, onde recebi premiação de menção honrosa com o trabalho “Seoiotoshi” (pintura), e ainda nesse ano participei de uma exposição coletiva obtendo o prêmio “Trofeu Leonardo da Vinci” no Museu Metropolitano de Buenos Aires.

Em 2012, realizei a primeira exposição individual internacional,”Tangences” na Galerie Ricardo Fernandes e por fim participei da mostra “Novas Aquisições –Gilberto Chateaubriand “no MAM RJ.

Este ano participo da coletiva “Mais Pintura” organizada por Bruno Muguel e Luiz Ernesto, mostra esta em andamento no CCJF de pintores provenientes da EAV. Pelo que você pode ver eu me considero em constante formação!


Quais os artistas que influenciam seu trabalho ?

Tenho uma lista extensa, mas inicialmente o que mais me impressionou foi Mark Rothko , mas minha lista de influências consta Sean Scully , Barnett Newman ,Richard Dienbenkorn e Paul Klee e da turma daqui, claro, me apaixonei por Eduardo Sued, José Maria Dias da Cruz, Ianelli, Bechara , Senise, Lucia Laguna e a grande Tomie Otakie. Dessa turma feroz (expressionistas abstratos), tento nos meus trabalhos colher algo no hoje, que faz parte do nosso dia a dia, das questões atuais, que obviamente são outras, diferentes das que eles viveram naquele momento.

Como você descreve sua obra?

Acredito ser muito simples descrever minha obra, ela ao longo desses anos sempre teve relacionada à arquitetura que nela sempre marcou sua presença de uma forma natural devido a minha formação.Pela facilidade com o desenho e suas representações, em meus primeiros anos meu trabalho era bem figurativo ,e pelo fato de gostar muito de trabalhar com espátulas, além do pincel, desde o início já percebia uma inquietude na representação figurativa, e acho que já realizava uma leitura diferenciada do real.

Os trabalhos passo a passo foram perdendo essa leitura, e nesse processo as imagens já enunciavam temas e abordagens através de formas e fôrmas...Gosto de utilizar essa expressão porque ela aguça essa passagem, o abstrato falava mais alto...geometria, transparências , contrastes, equilíbrios e ou desequilíbrios entre as matérias utilizadas indicavam um novo caminho.

Já totalmente abstrato, durante muito tempo a geometria falou alto e eu me sentia muito afetado pela obra dos expressionistas abstratos já mencionados anteriormente. Durante muito tempo, os trabalhos relacionavam espaço, forma e sua utilização. Hoje, em função dessa velocidade absurda da informação, das leituras, o trabalho permeia momentos sempre ligados a limites ,espaços que dialogam entre si e que de alguma forma disputam em conflitos a temporalidade, o ritmo e o descanso de suas ligações.


O que é ser pintor no século XXI???

Menos glamour e mais responsabilidade...

Acho que acabou aquele papel de grande artista, hoje você não conhece mais o artista por um trabalho, hoje a imagem faz parte de um pacote, todo o diálogo, a conexão existente entre seus vários trabalhos é que darão a resposta requisitada pelo observador e para você sugerir algo, é importantíssimo você conhecer a história, o que já foi proposto, desta forma os ombros desse pintor do sec XXI carregam mais peso.

É possível viver de arte no Brasil?

Claro, ainda não morri...

Claro que a pergunta, a resposta e todo o seu desenrolar são muito loucos... Viver de arte em qualquer lugar do mundo é uma batalha, principalmente onde culturalmente, no nosso canto Brasil o tema ainda engatinha...é quando percebemos que o grande mérito do artista estará na utilização de suas principais ferramentas, que são principalmente duas: criatividade e a outra é muita criatividade... Alguns segredos tem que ser descobertos, existem vários fatores que interferem nesse processo , entre eles fazer as pessoas não só se interessarem por arte, mas fazê-las terem curiosidade de vivencia-las .Eu costumo dizer o seguinte para os consumidores do meu trabalho:

“Você é uma pessoa de sorte, pois vivo disso, logo tenho que vender para viver, mas se eu tivesse muito $$$ , você não conseguiria comprar um Kakati, pois eu mesmo compraria meus trabalhos..”.O trio que me ajuda a ser possível viver de arte está na utilização de:Disciplina+Motivação+Criatividade,se faltar um dos ingredientes a dificuldade no êxito aumenta e muito.


Alem dos estudos sobre arte que outros estímulos influenciam em seu trabalho?

Sou uma pessoa que tem um costume constante : economizar energia... pois se não utilizar nos momentos certos, antes do dia terminar vai faltar, acho fundamental toda manhã indo para meu atelier me sentir de bem com a vida... em meu trabalho estar de bem com a vida... vida é família, amigos etc... é condição quase que única e essa condição facilita muito no desenvolvimento geral do meu dia, tenho mais vontade de ouvir minha música, geralmente clássica , fumar meu cigarrinho de palha, dançar ,estudar, pintar, escrever, pensar...Enfim é um segredo, economizar energia para conseguir realizar.... e pensar arte 24 horas dia.

O que é necessário para um artista ser representado por uma galeria?

A busca do perfil...
Quando conseguimos essa junção , deu certo... mas é difícil, pois os interesses normalmente são diferentes... O momento inclusive é complicado , pessoas com papéis diferentes falando a mesma língua... é só imaginar o resultado...


O que você pensa dos salões de arte?

Acho que já tiveram mais importância e visibilidade nesse mercado principal de arte , não estou falando do mercado secundário onde o consumo e seu respectivo público valorizam mais as feiras e leilões , então, pensando neste mercado principal eu particularmente até hoje acho um espetáculo, estou sempre buscando, e quando consigo integrar algum salão , não interessa qual, me sinto um vitorioso e acreditando no sucesso daquele momento e cumprindo aquele objetivo.

O material produzido no Brasil para arte já é de boa qualidade?

Acho que sim, hoje o que se produz aqui tem qualidade , guardando as devidas proporções por sermos um país jovem, acho que agora já encontramos boas coisas por aqui. Também tivemos a abertura para as importações e isso ajuda muito, além do que,estamos atravessando um momento onde nosso mercado encontra - se valorizado, o que estamos colocando nesse mercado retrata essa valorização e ai sempre é bom fazer uso de recursos variados.

Quais são seus planos para o futuro?

Planos futuros? O plano principal é o de hoje... acordar ,trabalhar, pesquisar ,fazer meus trabalhos crescerem , ouvir minha musiquinha , fumar o meu cigarro de palha, curtir minha família,meus amigos como faço todo dia... Agora para que o Kakati aconteça em termos de mercado, que é o que eu chamaria de um plano para futuro, uma gama de fatores juntos contemplam esse processo, vários deles serão de minha responsabilidade e outros não, dessa forma tenho a convicção que no mínimo tenho que fazer a lição de casa, são os que dependem de mim , exemplo: continuar minhas pesquisas, fortalecer meu trabalho e viver essa situação em toda sua plenitude.
Hoje sou representado em 3 locais: aqui no RJ pela galeria TNT e pelo Espaço Kakati ( Casashopping local onde comercializo meus trabalhos) e ainda sou representado também em Paris pela “Galerie Ricardo Fernandes” , procuro estar sempre atento nessa coordenação para que o processo evolua e essa busca não pare, porém se demorar mais ou menos para acontecer esse plano futuro , um fato é certo, um pensamento me acompanhará: Fiz a minha parte...





Título: Degrau 15 Dimensões: 160cm X 105cm
Esmalte e acrílico s tela Ano : 2013



Título: ESP TANG 11 Dimensões: 160cm X 105cm
Esmalte e acrílico s tela Ano : 2013



Título: ESP TANG 10 Dimensões: 105cm X 160cm
Esmalte e acrílico s tela Ano : 2013



Título: ESCADA JIGORO KANO Dimensões: 160cm X 105cm
Esmalte e acrílico s tela Ano : 2013



Título: Mado Moshi janela alô. Dimensões: 160cm) X 105cm
Esmalte,óleo e acrílico s tela. Ano : 2013




Título: URBAN 17. Dimensões: 140cm X 140cm
esmalte e acrílico s tela. Ano : 2013



Título: URBAN 16. Dimensões: 140cm X 140cm
Esmalte,óleo e acrílico s tela. Ano : 2013



Título: URBAN 16. Dimensões: diptico 140cm X 280cm
Esmalte e acrílico s tela. Ano : 2013



Título: URBAN 15. Dimensões: diptico 140cm X 560cm
Esmalte e acrílico s tela. Ano : 2013







Currículo


KAKATI DE PAIVA vive e trabalha no rio de janeiro, cidade em que nasceu em 1957



FORMAÇÃO:


Formado pela Universidade Santa Ursula em 1982 . arquitetura

Cursos livres com Luis Ernesto, Bruno Miguel ,José Maria Dias da Cruz , Charles Watson, e Franz Manata no Parque Laje ( EAV )

Cursos livres com Lia do Rio e Mario Trindade ( Espaço Galeria Oko)

Cursos Livres com Luis Camilo Osório – MAM RJ


EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS:


1981 . “Vertigens Figurativas” - SALÃO CULTURAL DA STA URSULA.RJ

1999 .“Vinho da Cunha” - CENTRO CULTURAL DA CAIXA.RJ

2000 .“Janelas & Janelas” - CENTRO CULTURAL DA ESTACIO.RJ

2002 . “Homenagem”. GALERIA VILLA RISO.RJ

2010 . “A Fresta” . GALERIA BNDES

2012 .“Tangences”. GALERIE RICARDO FERNANDES .PARIS


EXPOSIÇÕES COLETIVAS:


1990 . I Exposição do IAB . RJ

1991 . II Exposição do IAB . RJ

2000 . “2000 reasons to love the Earth”. Foundation Zeezigt . Netherlands

2001 .“Coletivo” . Galeria Elmi . SP

2003 .“Contrastes” . Galeria Villa Riso. KAKATI & PHILLIPE WALTERS . RJ

2005 .“desencontros .Galeria Villa Riso. ALBERTO CARBI & KAKATI . RJ

2010 . Galeria Area Artis . SP

A.Jain Marunouchi Gallery . NY

38.Salão da Primavera . MAM Resende . RJ

Salão Ararense de Artes Plásticas . SP

2011. “A cara do Rio”. Centro Cultural dos Correios .

“1. Biennale d’art contemporain latino americain” . Espace Beaurepaire . Paris

“ Leonard da Vinci” . Museo Metropolitano de Buenos Aires Arg.

2012 . “Tangences” . Galerie Ricardo Fernandes . Paris

“Novas Aquisições da Coleção GILBERTO CHATEAUBRIAND – MAM RJ

2013 . “MAIS PINTURA”. CCTJ . Centro Cultural Tribunal de Justiça


PREMIAÇÕES :


2010 . 1. Biennale d’Art Contemporain Latine Americain” . Espace Beaurepaire . Paris ( pintura )

2011 . Museu Metropolitano Buenos Aires . Trofeo Leonardo Da Vinci (pintura )


ACERVOS:


1999 Centro Cultural da Caixa . RJ

2011 Novas Aquisições da Coleção GILBERTO CHATEAUBRIAND – MAM RJ


REPRESENTADO POR:


TNT ARTE . Rio de Janeiro
GALERIE RICARDO FERNANDES . Paris


Espaco Kakati arte & conceito
Ayrton Senna 2150 bl F sala 221
21 21088418 21 71329494
www.kakati.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário