quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Marcio Fonseca entrevista Claudia Hirszman








Quem é Claudia Hirszman?    
Nasci no Rio de Janeiro em 1961, onde moro. Sou otimista por natureza, gosto de pessoas e lugares. Me alimento de exposições, centros culturais e galerias.


Como a Arte entrou em sua vida?  Como foi sua formação artística?
Posso dizer que minha formação como artista começou há três gerações, minha avó materna era fotógrafa lambe-lambe na Rússia até sua família vir para o Brasil, quando então passou a se dedicar à literatura.
Minha mãe, professora de artes, nunca poupou esforços para oferecer a mim e a minha irmã todas as oportunidades artísticas na nossa educação. Lembro de aulas com Pedro e Ilo, Cecília Conde, profissionais que ampliavam nossos horizontes culturais. Por sua vez, em casa, tínhamos todos os estímulos e ambiente lúdico para receber amigos com criatividade.
Meu pai, engenheiro, me levava nas obras quando criança, herdei dele o gosto pela estrutura que sustenta de forma invisível as edificações. Gosto do que está por trás, do que não é visível num primeiro momento, mas que revela força e vitalidade.
Antes de me dedicar às artes visuais, me formei psicóloga em 1983 pela PUC RJ. Sempre foquei para além da estrutura, no que de bom havia como um elo para reconstruir seu momento presente a partir de uma nova ótica.
Em 2007, me autorizei a dar voz e vazão a um de meus desejos mais profundos: me aprofundar nos estudos de fotografia e começar a enveredar pelo caminho das artes. E um mundo novo se descortinou à minha frente; mundo esse que vem me acompanhando cada dia mais. A ponto de hoje estar inteiramente envolvida e mergulhada nele.


Como você descreve sua obra?
Olho para a cidade, para as construções, para as pessoas que nela habitam, procurando dar visibilidade ao que está ali, mas nem sempre visível ao olho nu.
Há uma riqueza na interação entre o material bruto produzido e o que ele vem a ser, nos novos significados que passa a adquirir a partir do contexto em que será inserido. Esse é um grande desafio!


Que meios utiliza para construí-la?
Uso como linguagem a fotografia e a partir dela há um desdobramento para que alcance novos contextos e adquira novos significados.
Cada trabalho tem sua própria materialização: pode ser um livro fotográfico,um objeto, uma instalação, um vídeo, um painel, um material expositivo.


Que artistas influenciam seu pensamento?
Marcel Duchamp, Hélio Oiticica, Lygia Clark e Joseph Beuys.


É possível viver de Arte no Brasil?
Sim, embora não seja nada fácil. Às vezes é preciso complementar a renda com trabalhos não necessariamente autorais.


O que é necessário para um artista ser representado por uma galeria?
O trabalho pode ser bom e ter dificuldade de se inserir no mercado estabelecido. A relação entre artista e galerista é uma relação comercial, que a meu ver, deve surgir a partir da admiração e respeito mútuo pelo trabalho um do outro, uma mistura de afinidade do trabalho do artista com o público alvo do galerista.


Como você estuda, como se atualiza?
Estou sempre fazendo cursos, workshops, frequentando festivais de fotografia, vendo exposições. Sou ávida por tudo que gira em torno da arte.

 Alguns pensam que as obras em papel, em virtude de nosso clima, durem menos que as pinturas e por isso tem procura menor, você concorda?
Hoje em dia com técnicas de impressão FineArt em papéis diferenciados, como o hahnemuhle entre outros, isso é um mito. Há estúdios de impressão fotográfica do mais alto nível com a qualidade museológica.

 Como foi sua experiência na ARTIGO-2013?
A experiência de portas se abrindo, a confirmação de que sonho e realidade andam juntos e de que nunca devemos desistir...


Quais são seus planos futuros?
Que portas que eu nem imagino existirem se abram para que eu possa continuar fazendo e interagindo arte.




Instalação e performance, 2011. Zona Oculta. Painel 100x300 cm.


Cara do Rio, 2011.


Cara do Rio, 2011. Painel 100x150 cm.


Salve Jorge, 2011. Caza Arte Contemporânea.


Detalhe da Instalação na barraca da Fotofeira, Feira da Praça XV, 2012. 


Fotografia mostrada no Ateliê da Imagem - Mostra Livre de Fotografia  e na Argentina, 2012.


Salve Jorge, 2013. Caza Arte Contemporânea no Espaço Euvira. 


Estande da Caza Arte Contemporânea, 2013. ARTIGO.






Mais sobre Claudia Hirszman....


Portfólio


Facebook


Email




Ainda mais sobre Claudia Hirszman...


Exposições:


2013

ARTIGO – Stand da Caza Arte Contemporânea, Centro de Convenções Sul América, RJ.

ALAF - Coletivo de Vídeo, FOTORIO, Museu das Ruínas, RJ.

Campo de Livros II, FOTORIO, Centro Cultural da Justiça Federal, RJ.

Salve São Jorge 23, 5a edição parte 2, Espaço Eu Vira, RJ.

Domingo no Parque, Foto em Pauta Tiradentes, Tiradentes, MG.


2012

Trilogia Opmet - Endo - Alaf, Artur Fidalgo Galeria, RJ.

Liquid Identities, Veneza, Itália.

Foto 120, Juiz de Fora, MG.

Hidden Cities & Hybrid Identities, Roma, Itália.

Mosaico Minuto, Centro Cultural da Justiça Federal, RJ.

Intervenção, Fotofeira na Praça XV, RJ.

Mostra Livre de Fotografia, 2a edição, Ateliê da Imagem, RJ e Buenos Aires, Argentina.

Salve São Jorge, Caza Arte Contemporânea, RJ.

ALAF - Coletivo de Vídeo, Ateliê da Imagem, Projeto Sexta Livre, RJ.

Campo de Livros - Projeto de Livros Experimentais, Casa da Ladeira, RJ.

Coletivo Foto na Praça I e II, Praça Paris, RJ.

Foto “Mural dos Amores” no Calendário do Jardim Botânico, RJ.


2011

A Cara do Rio, Centro Cultural dos Correios, RJ.

Cor de Rosa Choque, CEDIM, RJ.

Pequenos Formatos, Imaculada Bar e Galeria, RJ.


2010

Exposição de Fotos do Jardim Botânico, RJ.

Zona Oculta, Espaço Cultural CEDIM Heloneida Studart e SESC Nova Iguaçú, RJ.


2009

Cenas do Cotidiano/ FOTORIO - Associação Brasileira de Arte Fotográfica, ABAF, RJ.


2007

Exposição de Fotos do Jardim Botânico, RJ.


Formação:


Grupo de estudos e acompanhamento com Marcos Bonisson, 2013/2011.

Antiformas de Intervenção com David Cury - Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 2012/2010.

Coloridos Sentados com Walter Firmo, 2011.

Colagens, Espaços e Trajetória e Avaliação com Lia do Rio, 2011/2009.

Fábrica de Ideias com Walter Firmo, 2009.

Cursos de Fotografia no Ateliê da Imagem Espaço Cultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário