quarta-feira, 12 de junho de 2013

Marcio Fonseca entrevista Gustavo Martins






Quem é Gustavo Martins?
Nasci em Sorocaba,interior de SP,em 1980,meu pai sempre trabalhou com oficina e transporte de caminhão,minha mãe,sempre cuidou dos filhos e dos afazeres domésticos,durante a infância e adolescência,estudei entre escolas públicas,na universidade fiz artes na PUC - Campinas,onde me graduei em 2001.

Como a arte entrou em sua vida?
Desde muito cedo me interessava por desenho e pelo fascínio das cores, talvez muito se deve a influência de um primo,que desenhava na minha época de infância,então sempre que o via pedia a ele que desenhasse algo para mim,e na escola levava o desenho dele e dizia que era eu quem havia feito (rs),minha mãe vendo essa afinidade,comprou muitos livros por reembolso postal de desenho e eram vários desde desenhos de cartum até desenhos artísticos,mais tarde fiz colegial técnico em publicidade e propaganda,o que de certo forma me aproximou mais ainda desse momento de criação e intereçao em descobrir um estilo próprio,fiz alguns cursos na área de pintura,no intuito de aprender mais sobre técnicas,por fim a escolha no curso da faculdade acabou se dando por fazer artes,me senti mais atraído em ter liberdade em escolher o que eu queria fazer e como fazer,sem ter que me preocupar em refazer o trabalho como quase sempre acontece quando se trabalha com desenho editorial.

Que artistas influenciam seu pensamento?
Tive varias influencias em diversos ciclos do meu trabalho,já passei por Ziraldo (na época de ilustrações),mais tarde com a vontade crescente de criar e mostrar um pouco de mim atrave´ss de alguns temas que eu desenvolvia (eram trabalhos bem figurativos) tive grande influencia de Di Cavalcanti, Botero, Picasso, Aldemir Martins,nessa escola toda acabei por desenvolver meu próprio estilo e linguagem,hoje com o ciclo novo que começa com uma pintura mais expressionista e pouco figurativa simplesmente deixei acontecer,nesse ciclo procurei não me deixar influenciar por nenhum artista,queria algo meu,muito pessoal,mas adoro as pinturas de William Turner.

Como você descreve seu trabalho?
Meus trabalhos falam muito de mim,sobre sentimentos guardados,a inquietação de uma paisagem em constante transformações tanto da natureza, como de uma reação raivosa conduzida pela mão, em um protesto inconsciente pelo descaso humano a sua preservação. nuvens negras dominam o campo pictórico e de repente surge a cor da relva como uma esperança a sua sobrevivência.trabalho com telas e papel,óleo sobre tela e acrílico sobre papel.
5-mostrar a cada dia o que você é, o que você pensa,e de que forma você pode interagir com o meio que vivemos,buscar sempre respostas ou questionar sempre as respostas dadas,se encontrar e se perder ao mesmo tempo,buscar a maturidade no trabalho sem medo de dizer quem você é, procurar explorar os meios de comunicação que temos em especial as mídias sociais,se difunde muito o trabalho por meio delas.


É possível viver de arte no Brasil?
Acredito que sim,temos vários exemplos de artistas que vivem só de arte,acho que a grande questão é saber onde o artista quer chegar com seu trabalho,alguns pintam por hobbie,outros pintam com paixão, necessidade em cima disso cada um trilha a sua maneira e a maneira que lhe convém seu caminho artístico.claro que,aqueles que desejam viver só de arte tem que ter em mente que é um caminho longo, difícil,eu já tive momentos que pensei em deixar a pintura, mas não tem como,acreditar no trabalho e contar com pessoas que acreditam nele também fazem toda a diferença,parceiros dessa luta diária.


O que é necessário para um jovem artista ser representado por uma galeria?
acho que o mais importante é você deixar que eles acreditem no seu trabalho,a sua verdade acabara tocando algum galerista ou marchand,acaba acontecendo uma fusão de sentimentos e forma de pensar,essa ligação com uma galeria ou marchand que realmente acredite no seu trabalho acaba trazendo uma segurança ao jovem pintor,discussões,conversas,trocas de experiências acabam sendo fundamentais nesse processo de conhecimento entre um e outro.
Além dos estudos que outros estímulos influenciam em sua produção?
Mostrar a minha verdade,sentimentos guardados,o artista se expõem e essa exposição tem que vir sem medo,acaba sendo um processo de conhecimento entre criação e expectador,porque o seu sentimento acaba se tornando as vezes o sentimento de quem olha teu trabalho,poder expressar o que outras pessoas também sentem é maravilhoso,e as obras acabam deixando de ser só suas para serem de alguem também.

Você vive e trabalha em Campinas, a cidade já tem um mercado de arte consolidado?
Vivo e trabalho em Campinas, acho que Campinas no passado já deve ter tido mais apoio cultural,entrando numa entressafra durante alguns anos e os artistas acabaram por migrar para outras cidades onde o apoio é maior e consequentemente a visibilidade também, hoje o que se percebe é que as coisas voltaram a caminhar,vemos com mais frequência grupos de artistas lutando e expondo em espaços aqui em campinas,a luta diária e insistente por melhores condições para a difusão artística.

Você tem uma rotina de trabalho?
Sou um artista que precisa dessa rotina,os meus melhores momentos são sempre pela manha,logo cedo,seis hora,sete horas da manha já começo a pintar,pinto todo dia,desenho todo dia,se não é tela é papel,adoro isso,e sinto essa necessidade diária.

Qual sua opinião sobre os salões de arte, alguma sugestão para aprimorá-los?
Eu participei de apenas um salão alguns anos atrás,confesso que nunca tive muito contato com salões,mas acho sensacional esse meio que se dispõem para estimular ainda mais a produção da arte,alem de uma maneira de se conseguir fazer que o trabalho selecionado seja visualizado por outras pessoas que talvez você sozinho não conseguisse.


Quais são seus planos para o futuro?
Espero ainda poder pintar por muitos anos...rs.na realidade eu procuro não pensar muito a respeito disso, não criar expectativas demasiadas,simplesmente ganhem cada vez mais força.



Agradeço a oportunidade desse bate papo,excelente essa interação.
grande abraço meu amigo Marcio!






Nenhum comentário:

Postar um comentário