terça-feira, 26 de março de 2013

Marcio Fonseca entrevista Rodrigo Kassab





Quem é Rodrigo Kassab?
Nasci em São Paulo no dia 12 de outubro de 1985. Estudei no colégio Santo Américo e me formei em CInema pela FAAP-SP em 2007. Sou solteiro e não tenho filhos.


Quando você começou a se interessar pela arte?
Eu acho que a arte faz parte de nós. O dia que eu aprendi a entender as mensagens da minha cabeça eu comecei a me interessar pela arte. O amadurecimento é muito importante para a arte.


Qual foi sua formação artistica?
Sou formado oficialmente em fotografia e cinema, mas minha formação principal foi a música. Desde sempre ouvi muita musica e sempre me interessei pelos instrumentos musicais.

Que artista influenciaram seu pensamento?
É muito dificíl nomear todos os artistas que me influenciaram, mas vou citar alguns que me influenciaram nesses últimos tempos: Alexander Rodtchenko, Piet Mondrian, Henri Cartier-Bresson, Michelangelo Antonioni, Eric Rohmer, Nestor Almendros, Jean-Marie Straub et Danièle Huilllet, Nelson Cavaquinho, Fela Kuti.

Como o cinema, a fotografia e a arte se integram no seu trabalho?
Eles são o meu trabalho. A diferença está no tempo.



Você poderia falar sobre a importância do período passado em Paris?
Paris foi essencial no meu amadurecimento como ser humano e como eu disse anteriormente isso é essencial para a arte. Lá a cultura está por toda a parte e tem coisas que são essenciais para a reflexão: a calma, o silencio, e a solidão.

É possível viver só de arte no Brasil?
Não, é preciso comer também (risos).
Brincadeiras à parte, acho que sim. Mas é necessário estar no topo, já ser reconhecido. Para os artistas que estão começando é muito difícil.





Como você descreve sua exposição individual na Galeria Lume?
Essa é a minha primeira individual, então tenho um carinho muito especial por ela. Ela é a conclusão de uma série que começou quase 3 anos atras.
Há uma influência muito grande do construtivismo e da arquitetura. O cinema está presente também pelo fato de cada foto conter estórias. O objetivo principal é provocar a curiosidade nas pessoas.



Algumas fotografias foram vendidas por mais de US 3000000, é o meio de expressão artística do momento?
As pessoas hoje tendem a julgar as coisas apenas do ponto de vista econômico. Visto desse ponto, sim, a fotografia está num ótimo momento. Mas do ponto de vista artístico o melhor momento da fotografia já passou. O que está acontecendo agora e que as pessoas, principalmente no Brasil, passaram a ver a fotografia como arte. Há poucos anos atrás eu ouvia pessoas dizerem: "Nossa, tão caro! Se fosse uma quadro pintado eu até compraria, mas foto não é arte." Para mim a grande diferença está ai. No mercado, não na produção.


O que você estuda? Como você se atualiza?
Estou sempre procurando aprender coisas novas, independente da área. Hoje em dia a internet se tornou a maior referencia para quem quer descobrir coisas novas. Após esse primeiro contato pela internet parto para a parte concreta do assunto. O espaço público é onde toda a arte toma seu valor real. Por isso a internet é apenas um começo. O resto está na rua, em museus, galerias, cinemas, parques, etc.


O que é necessário para se tornar um ícone em artes plásticas?
Isso eu não posso te dizer, pois ainda não sou e talvez nunca o seja. Mas o que eu acho importante em todas as áreas é ser uma pessoa correta, pensar no outro e não tentar tirar sempre vantagem, que é o que parece dominar o mundo hoje.












Em exposição na GALERIA LUME, Rodrigo Kassab explora os limites entre espaços públicos e privados



A GALERIA LUME inaugura sua programação de exposições de 2013 com Priva-cidade, Publi-cité, de Rodrigo Kassab, na qual são exibidas pela primeira vez todas as fotografias da série que dá nome à mostra.


Esse conjunto de fotografias é composto por imagens de linhas paralelas que delineiam fachadas de prédios e as janelas, que são o cerne dessas fotografias. Em Priva-cidade, Publi-cité, o artista faz uma investigação dos limites e das relações entre os espaços públicos e os privados. “Percebi que este limite estava muito presente em cortinas e janelas, e, ao fotografá-las, poderia colocar o espectador entre esses dois espaços, como um voyeur, mas sem o elemento fetiche do voyeurismo, que é o medo de ser percebido”, explica Rodrigo.


O que se vê nessas fotografias são fragmentos de histórias, que, embora pessoais, estão à vista de quem passa diante dessas janelas. “A eterna pausa da fotografia nos dá segurança e nos permite a reflexão. Se pararmos para pensar, esse jogo entre público e privado vai acompanhar a foto onde quer que ela esteja”, diz ainda o artista.


Em sua pesquisa conceitual, Rodrigo Kassabescolhe um ambiente e caminha a esmo por ele até se deparar com elementos que servem como resposta a suas indagações. A série foi iniciada em Paris, daí o motivo para uma das palavras do título estar em francês. “Se essas imagens fossem estar situadas em algum lugar, esse lugar seria o espaço que há entre a privacidade e a publicidade, que parece imenso, mas na verdade é menor que o traço que separa o titulo”, reflete o fotógrafo.


Com influência do construtivismo, grande inspiração para Priva-cidade, Publi-citéé a arquitetura, analisada sob o espectro de reflexo humano e interação social, além do fator efemeridade, visto que as construções fotografadas para a série podem deixar de existir em algum momento, dando lugar a novas histórias, compartilhadas com o mundo, acidentalmente ou não, através das janelas.


ExposiçãoRodrigo Kassab – Priva-cidade, Publi-cité

CuradoriaPaulo Kassab Jr.

CoordenaçãoFelipe Hegg

Abertura 05 de março de 2013, terça-feira, às 19h30

Períodode 06 a 25 de março de 2013

LocalGALERIA LUME – www.lumephotos.com

Rua Joaquim Floriano, 711 - 2º andar –Itaim Bibi – São Paulo, SP

Tel.: (11) 3704.6268

Horáriosegunda a sexta das 10h às 20h

Nº de obras 10

Técnicafotografia

Dimensão70 x 70 cm a 80 x 120 cm

PreçoR$ 4.000,00 a R$ 12.000,00



Ass. Imprensa - Balady Comunicação – Silvia Balady/ Bruno Palma

Tel.: (11) 3814.3382 – contato@balady.com.br



O artista

Formado em Cinema e Fotografia, Rodrigo Kassabtrabalha como diretor de cinema, diretor de fotografia e fotógrafo. Além das artes visuais, o artista se interessa principalmente pela arquitetura e música, artes que busca retratar em suas imagens. Morou em Paris de 2008 a 2011 para se aperfeiçoar e se dedicar inteiramente à arte.


A galeria

A GALERIA LUME foi fundada em 2010 por Felipe Hegg, Paulo Kassab Jr., José Eduardo e Luiz Aranha Moura, com a proposta de mostrar a qualidade, transgressão e criatividade dos artistas e fotógrafos contemporâneos. A galeria tem um leque amplo de atuação: promove exposições periódicas, tanto coletivas quanto individuais, agenda visitas personalizadas, participa de feiras de arte no Brasil e no exterior, realiza projetos especiais, que transcendem seus limites físicos, além de elaborar e coordenar workshops e cursos sobre o tema fotografia com os mais renomados profissionais da área. A LUME oferece duas linhas de produtos: a Open Edition, imagens com tiragem média, o que as torna mais acessíveis a novos colecionadores, e a linha Collector, séries exclusivas com tiragem restrita.




















Nenhum comentário:

Postar um comentário