sexta-feira, 20 de julho de 2012

Marcio Fonseca entrevista Rosana Ricalde



Rosana Ricalde

Rosana Ricalde (1971) Vive e trabalha em Rio das Ostras. Já com uma obra reconhecida, desde de 2002, vive do seu trabalho. Com pintura, objeto, instalação e intervenção urbana utiliza a palavra e o livro como grande tema de seu trabalho construindo algo entre a poesia e artes visuais. Casada com o artista Felipe Barbosa com quem produz algumas obras em conjunto. É representada pela Cosmocopa Arte Contemporânea.Obrigado Rosana.


Conte um pouco de sua vida pessoal.
Nasci em Niterói, mas vivi ate os 18 anos no interior do estado, cursei a Escola de Belas Artes da UFRJ. Sou casada e tenho 2 filhos (lindos diga-se de passagem...)

Como a arte entrou na sua vida?
Olha, desde criança sempre tive interesse por atividades que envolvessem criação, fazias roupas de papel, criava perfumes com plantas, escrevia pequenos livros... acho que isso sempre fez parte da minha personalidade. Agora a arte pensada como modo de vida e trabalho penso que foi mesmo na adolescência, quando comecei a pensar no faria pelo resto da vida.
Qual foi sua formação artística?
Me formei em gravura na escola de belas artes da UFRJ e cursei o mestrado da Universidade Federal Fluminense, mas não conclui o curso.




Quais artistas influenciam seu pensamento?
São tantos artistas que eu gosto... , depende em qual aspecto, tem os que acho que tem uma linha de pensamento parecida, tem os que tem uma postura que admiro, que são empreendedores, que publicam, o que demonstra uma preocupação com o publico num sentido mas amplo. Tem os artistas icônicos, enfim poderia desfiar aqui uma imensa lista...mas também sou muito influenciada pela literatura,pela música, tanto quanto pelas artes visuais.
Como você descreve sua obra O que significa ser uma pintora no século XXI?
Não me considero uma pintora... acredito que minha obra é minha maneira de ver o mundo, ela esta totalmente ligada a vivencia, uma resposta muito particular aos estímulos que a vida vai me proporcionando. Agora uma descrição para quem não conhece meu trabalho seria, uma obra que se alimenta da literatura, e do livro mesmo enquanto objeto, este acaba sempre fazendo parte em algum estagio da obra, seja como inspiração ou mesmo como matéria prima, gerando os desenhos, a pinturas, instalações...
Ser casada com um artista ajuda ou atrapalha? Ele já respondeu.
Não diria ser casada com um artista, mas ser casada com o Felipe tem sido muito bom, é alem de um casamento, uma parceria que como outra qualquer enfrenta desafios, mas os interesses comuns acabam por nos unir.

A mulher tem o mesmo espaço do homem na arte brasileira?
Essa é uma pergunta complexa... temos como a cara da arte brasileira varias mulheres, importantes no cenário internacional, mas acho que a mulher enfrenta seja na arte ou em qualquer outra área, desafios maiores para se estabelecer, faz parte da nossa natureza deter muitas funções o que toma mais tempo,divide a atenção, mas essa e uma longa discussão... eu não saberia exatamente dizer se já perdi algo por ser mulher, acho que teria de recorrer a alguma estatística pois isso não fica explicito, mas pode ser que aconteça.
Ter sua própria galeria é uma vantagem para o artista?
Para mim tem sido interessante, é mais uma parte do processo que estou vivenciando, existe um convívio com os artistas, esse é um pois esse projeto esta sendo construído com muito cuidado e carinho, procurando envolver muitas pessoas. Mas não sei se isso é uma vantagem, depende muito do artista, pois a galeria deve representar todo o time e pensar sempre em prol de um todo, você tem de estar seguro para investir nisso.
Qual sua opinião sobre Bienais e Feiras de Arte?
Acho as grandes exposições interessantes e cada vez mais essa distinção entre feira e bienais desaparecem. Eu vejo como uma oportunidade de ver muita coisa reunida, coisas boas e ruins.
A arte brasileira já pode competir no exterior?
Sim, o Brasil esta repleto de artistas incríveis, com trabalhos inteligentes e resolvidos. Alias uma produção difícil de encontrar igual.
Quais são seus planos futuros?
Tenho muitos projetos, continuar desenvolvendo meu trabalho, publicar, estabelecer de maneira sólida nossa galeria.



Em que museu no exterior você gostaria de expor?
Muitos.. MOMA, PS1, George Pompidou.....

O que você faz em sua horas livres
Curto meus filhos, leio, viajo e sempre que possível encontro os amigos.


Instalação mostrada na Paralela de 2010, São Paulo.
<><>
Autoretrato de Bocagge




Painel Mares do Mundo (detalhe)


Marco Polo


Mar (2009)


Até que a Morte Nos Separe. Até que a Sorte Nos Separe.


Alfabeto de Verbos


.
Livro das Questões


Verdade e Beleza


Circunviagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário