segunda-feira, 23 de julho de 2012

Marcio Fonseca entrevista Roberto Schimiit-Prynn

Roberto Schimitt-Prynn

Cenas Vertiginosas Fotografia C-print Ed. 5



Cenas Vertiginosas Fotografia C-print Ed 5.





Cenas Vertiginosas Fotografia C-print Ed. 5.







Cenas Vertiginosas. Ed 5 Fotografia C-print.








Natureza Morta





Cenários da Memória Fotografia Ed. 5 30x40 cm. (2009)







Cenários da Memória Fotografia C-print Ed. 5 ex. 30x40 cm (2009)
















Roberto você poderia contar alguma coisa de sua vida pessoal?

- Nasci em Panambi, uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul. Aos dezesseis anos me transferi para Porto Alegre para estudar Edificações no então famoso Colégio Parobé e simultaneamente comecei a trabalhar como desenhista de arquitetura.




Como se deu seu interesse pela fotografia?
- O meu interesse pela fotografia vem dos meus avós paternos, fotógrafos amadores que tinham laboratório fotográfico em casa.



Qual foi sua formação?
- Minha formação se dá na arquitetura. Mas, o convívio com a fotografia e com artistas plásticos me levou a trabalhar com
documentação de arte, e mais tarde iniciei minha produção autoral.



Quais os artistas que influenciaram seu pensamento?
- Não há um artista no qual eu me inspire, mas aprecio a obra de Cindy Sherman, da qual me distanciei depois das primeiras séries.

Que outras atividades enriquecem e auxiliam a formação de um fotógrafo?
- Sem dúvida o cinema.



Como você descreveria o seu trabalho?
- Cada série é muito diferente da anterior. Trabalho alguns anos em cada uma. Meu trabalho anterior chama-se "Cenarios da memória" que remete ao ato de ver e de lembrar. Fala daquilo que o expectador lembra dos "cartões postais" de grandes cidades e lugares visitados. Estes "postais" são reconstruídos através da sobreposição de inúmeras fotografias, por vezes cinquenta ou sessenta imagens, procurando uma forma e um ritmo que não estava nas imagens originais. O resultado é um cenário novo, misteriosamente distante do real, parte memória, parte imaginação. Atualmente trabalho numa série chamada "Cenas vertiginosas" e se refere a cenas ao invés dos cenários e procuram evocar lembranças pouco nítidas, mas trágicas.

Você tem uma rotina de trabalho?
- Nunca tive uma rotina de trabalho. As vezes a fotografia me ocupa um dia inteiro e noutras ocasiões passo muito tempo sem produzir.


O que diferencia uma fotografia de uma fotografia chamada de obra de arte?
- A fotografia, como qualquer manifestação artística, segue uma tradição que vai sendo subvertida. O resto é fotografia documental.


Na sua opinião de que maneira a máquina digital influenciou o aparecimento de artistas/ fotógrafos?
- O que importa é sempre o resultado final, independente de sua forma de produção. Nos últimos urgiram muitos fotografos, mas não por causa das facilidades da câmera digital, mas pela atual valorização da fotografia como objeto de arte.


Quando eu faço um trabalho em 3D e mostro a fotografia, como você classifica a obra?
- Como registro. São linguagens diferentes. Atualmente fotografam performances, mas a "obra" é a performance e não o registro fotográfico da mesma.

Qual a avaliação que você faz do mercado de arte para o fotógrafo artista?
- O mercado de fotografias está sendo formado no Brasil e, deve como já acontece na Europa e nos Estados Unidos,proporcionar um retorno de investimento além do estético aos colecionadores. O mercado é muito promissor.

Você tem um longo e espetacular currículo, quais são seus planos para o futuro?
- Primeiro continuar a produção e depois estou articulando duas exposições individuais na Europa, Portugal e Alemanha.

Em nossa conversa, você comentou que iria assumir um cargo na administração pública no RGS. Quais são suas expectativas sobre essa nova atividade?
- Em janeiro deste ano assumo a Chefia de Gabinete da Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul. Em termos de Artes Visuais temos bons equipamentos como o Museu de Arte do RGS, o Museu de Arte Contemporânea e a Casa de Cultura Mario Quintana e sobretudo, uma enorme vontade política que gera uma expectativa muito grande.


O grande Robert Mapplethorpe se queixava do valor de suas fotografias, muito abaixo das pinturas e esculturas. Você poderia fazer um comentário sobre essa declaração?
- A fotografia, em termos de mercado nunca poderá ser comparada a pinturas ou esculturas por se tratar de uma obra múltipla. Compara-se a gravuras e nesta condição alcança valores muito bons, muitas vezes superiores aos de desenhos.

De que maneira você se mantém atualizado?
- Lendo revistas especializadas, acompanhado exposições e leilões de arte.

Como você utiliza suas horas vagas?
- Nas horas vagas, quando não estou trabalhando, vejo filmes e ouço música erudita, outra paixão.

















<><>






<><>






<><>





<><>




<><>



<><>


<><>

<><>
<><><><>






<><>






<><>






<><>






<><>






<><>






<><>














PRINCIPAIS INDIVIDUAIS/SELECTED SOLO EXHIBITIONSExposições de 1990 a 2010/Exhibitions 1990/2010
Aliança Francesa, Porto Alegre.
Centro Cultural Justiça Federal, Rio de Janeiro.
Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
Galeria UFSC, Florianópolis.
Fundacion Arte por Uruguay, Montevidéu, Uruguai.
Museu Leopoldo Gotuzzo, Pelotas.
Institut d'Estudis Ilerdencs, Lerida, Espanha.
Casa de Cultura Mario Quintana, Porto Alegre.
Museu da Gravura Cidade de Curitiba, Curitiba.
Palácio das Artes, Belo Horizonte.
Museu de Arte de Santa Maria, Santa Maria.
Museu de Arte Moderna, Rezende.
Museu de Arte Contemporânea, Obra em Evidência, Porto Alegre.
Casa de Cultura José Lins do Rego, João Pessoa.
Galeria Laura Alvim, Rio de Janeiro.
Galeria Yázigi, Porto Alegre.
Museu de Arte de Goiânia, Goiânia.
Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis.
Museu de Arte de Anápolis, Anápolis.
Museu de Arte Assis Chateaubriand, Campina Grande.
Galeria Iberê Camargo, Porto Alegre.
Galeria Funarte, Rio de Janeiro.
Galeria Fotóptica, São Paulo.
4ª Semana da Fotografia, Curitiba.








EXPOSIÇÕES EM GRUPO/SELECTED GROUP EXHIBITIONS
Porto de Elis, Porto Alegre; Espaço IAB, Porto Alegre; Galeria UFF, Niterói; Centro Cultural Cásper Libero, São Paulo; Paço municipal, São Bernardo do Campo; Universidade Nacional Autônoma do México, Cidade do México; Forum Borsen Galleri, Gotemburgo, Suécia; Museu de Arte Contemporânea, Campinas, Museu de Arte Contemporânea, Porto Alegre; FNAC, Viseu, Portugal; Biblioteca Eduardo Lourenço, Guarda, Portugal; "WORLD", Marina de Albufeira, Portugal; Centro Cultural António Aleixo, Vila Real de Santo António, Portugal.
PRINCIPAIS SALÕES E PRÊMIOS/SELECTED AWARDS
VIII Salão da Câmara, Porto Alegre; Prêmio Copesul-MARGS 35 Anos, Porto Alegre; 11° Mini Print Internacional, Cadaques, Espanha; 1º Salão de Arte Semana de Santa Rosa, Santa Rosa, (Prêmio); XXVII Salão de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, (Prêmio); 1st. Annual International Print Exhibition, EUA; 48° Salão Paranaense, Curitiba; VII Salão FASC, Aracaju; III Mostra Latino-Americana de Arte, Santa Maria; XVII Salão de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto.




PRINCIPAIS COLETIVAS/SELECTED EXHIBITIONS
Museu de Arte Contemporânea de Campinas
"A Cidade e o Rio", Agência de Arte, Porto Alegre.
"Fotografia 150 Anos", BD Galeria, Porto Alegre.
"Bleu, Blanc, Rouge", Agência de Arte, Porto Alegre.
"Artistas Gaúchos-Produção Recente", MARGS, Porto Alegre.
"Arte Gaúcha Contemporânea", Galeria UFSC, Florianópolis e Galeria UGB, Salvador.
"Atitudes Contemporâneas", Casa de Cultura Mário Quintana, Porto Alegre.
"Catálogo Geral", MARGS – Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
"A superfície na Obra Gráfica do Rio Grande do Sul", Galeria Espaço Institucional, Porto Alegre.
"Panorama Arte Gaúcha Contemporânea", Casa de Cultura Mário Quintana, Porto Alegre.
"Shiga International Exchanges ", Katata e Hikone, Japão.
"Mostra Inaugural", Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
"Mostra de Artistas Contemporâneos", Museu Leopoldo Gotuzzo, Pelotas.
"Arte Contemporânea - Acervo MAC", Edel Trade Center, Porto Alegre.
"Nova Atualidade", Museu de Arte Contemporânea, Porto Alegre.
"Produção Recente", Museu de Arte Contemporânea, Porto Alegre.
"Mostra Inaugural", Museu de Arte de Santa Maria, Santa Maria.
"Imagens da Arte Gaúcha", Museu de Artes Visuais Ruth Schneider, Passo Fundo.
"Obra Gráfica Internacional, Mostra de Gravuras", Itinerante por dez cidades do Japão.
"Graphic Aus Brasilien", Eichstatt, Alemanha.
"El Camí em Blanc i Negre", Sant Cugat del Vallès, Espanha.
"6th International Miniart Exchange", Casa de Cultura Mário Quintana, Porto Alegre.
"Arte+Arte, Ensaios Contemporâneos", Casa de Cultura Mario Quintana, Porto Alegre.
"Mundus", Galeria Tina Zappoli, Porto Alegre.
"4º Leilão de Fotografia do Festival Paraty em Foco", Paraty.
PRINCIPAIS COLEÇÕES/SELECTED COLLECTIONS
Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, Porto Alegre; Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre; Museu de Arte de Goiânia, Goiânia; Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo, Pelotas; Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria; Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis; Museu de Arte de Santa Maria, Santa Maria; Fundacion Arte por Uruguay, Montevidéu; Club de Grabado, Montevidéu, Uruguai; Casa da Cultura, Ribeirão Preto; IPN, Universität Kiel, Alemanha.








Nenhum comentário:

Postar um comentário