domingo, 22 de julho de 2012

Marcio Fonseca entrevista Paulo Mendes Faria

Paulo Mendes Faria "Todo meu tempo é livre, mas estou sempre pensando em arte!".


Folia Klintiana (2008) Coleção Gilberto Cateaubriand MAM, RJ.



Exposição Galeria Arte em Dobro.







Série Cubos De.Cor.Ativa (2008) etileno vinil acetato.









Instalação (2009) Galeria do Poste











Exposição Galeria Djanira do Centro Cultural Raul Leone. Petrópolis, RJ













Torre de Babel
















































O que você contaria sobre sua vida pessoal?
Paulo Cezar Mendes Faria, foi feito na Ilha do Governador. Meu pai era dentista e minha mãe enfermeira no Hospital da Aeronáutica ... casaram-se ... e como minha avó paterna Braulina Brum era médica obstetra e meu avô Joaquim Simeão de Faria médico também ( embora minha avó materna Juvelina Gomes Mendes fosse parteira leiga e já tivesse aparado mais de 200 crianças ...rs) resolveram me levar para nascer em Juiz de Fora – MG ... FUI ! Nasci lá em 1946 e nunca morei por mais de três meses em Juiz de Fora , mas adorava passar as férias lá quando criança .pai dentista/artista/atleta , nadava, fazia saltos ornamentais e tinha duas motos... numa delas morreu em 1952 com 33 anos ... ficamos eu e minha mãe morando no Leblon . Fiz dois anos de Belas Artes na UFRJ 1968/69 ... plena ditadura ... bombas de gás pra lá e pra cá ... eu ... filho único de viúva pobre não podia fazer cursos no MAM ( que era a moda da época ... Ivan Serpa , Aluisio Carvão ... trabalhei por pouco tempo em Banco , Indústria Farmacêutica , desenhista de propaganda ,mas sempre buscava algo ligado à arte ...

Quando e como você descobriu sua vocação pela arte?Certamente foi antes da deformação profissional assimilada na ENBA/UFRJ ... e só recentemente descobri , porque fiz um mapa de influências . Foi muito bom fazê-lo... Em 1953/4 , eu tinha 7 anos , estava acontecendo a 2 Bienal de SP e o 4 Centenário de SP ... e lá estavam a Guernica de Picasso , centenas de outras obras importantes e um quadro da Tarsila do Amaral - Operários ... e foi esse quadro que me impressionou ( vale a pena ver )
Qual foi sua formação artística?
Passei pela UFRJ - Belas Artes por dois anos . Porém o que mais marcou na minha carreira foi o NEART – Núcleo Experimental de Arte criado por Geny Marcondes , no Palácio Itaboraí – Petrópolis nos anos 82/84 . Aulas com Katie, idas ao Parque Lage, debates e análises críticas com artistas que lá freqüentavam na época.

Que artistas influenciaram seu pensamento?

Como resultado do tal mapa de influencias descobri a Tarsila e daí os construtivos e cia. ... Embora só tenha nascido em Minas me considero um artista mineiro por conta da coisa construtiva , lúdica , barroca , rococó e sensível que a arte mineira tem . Fora a influência da Bossa Nova , dos Hippies , dos Beatles , Rollingstones , etc Este trabalho atual é o resultado natural de alguns outros já realizados .Surgiu quando emergi numa nova dimensão onde as relações habituais com o meio circundante ficaram alteradas . Cores que eram planas ou bidimensionais ganharam volume e vibrando entre si deram origem a essa reflexão dos "códigos" ... que no final nada mais é do que uma brincadeira com a pintura e a escultura a qual dei o nome de Esculpintura De.Cor.Ativa .
O que você poderia comentar sua obra?

Estou compilando material para um livro de 300/400 páginas. Mas posso dizer que aprendi errando, segui caminhos equivocados, fora do meu tempo. Durante 14 anos me dediquei, com certo sucesso, a uma arte apenas comercial e decorativa. De 1983 pra cá, resolvi mudar de vida e posso dizer que mesmo lá atrás venho buscando , no meu processo de evolução da imagem , conciliar com adequação e senso de medida meu espírito construtivo com elementos lúdicos , passando por problemas como a utilização de novas mídias e suportes não convencionais , a precariedade do objeto , sua perecibilidade , o choque entre o refinamento da linguagem geométrica e o material pobre , o todo e o fragmento , o separar e juntar , a repetição , etc ...Durante todos esses anos , para mim , a questão de maior relevância continua sendo a percepção do modelo organizador , invisível , porém existente no interior de todos os seres , coisas , objetos ... enfim busco o conhecimento do modelo psicológico que guia e determina a forma externa que a energia assumirá...
Como você se mantém atualizado?

Sempre que posso vou a exposições, leio e pesquiso na Internet
Qual sua opinião sobre as Bienais?
Penso que ainda estão no prazo de validade. O sucesso de qualquer exposição, hoje, depende muito mais da eficiência do curador, do investimento na mídia e marketing do que propriamente das obras apresentadas .
Como fazer para melhorar a divulgação da arte no Brasil?Investir muito mais em mídia/marketing. Pensar a arte como um produto, transformar o nome do artista em marca, e seu produto em objeto de desejo... afinal não podemos negar que vivemos numa sociedade capitalista e não podemos lutar contra a maré .
O que você pensa sobre as galerias virtuais?
Penso que é um bom caminho, super abrangente, barato, rápido e eficiente. Tenho tido boas experiências com vendas e divulgação pela a Internet.

É possível viver de arte no Brasil?

Claro! É possível viver de qualquer coisa nesse País ! Desde que além de sonhar se vá à luta! Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta assim diz o Gabriel Pensador.Eu sempre vivi de arte ou da arte ... fazendo , comprando ou vendendo . Durante 14 anos ( dois ciclos de 7 ) vendi tudo que produzi ... infelizmente/felizmente , conheço os vários lados do mercado de arte ... Tive até galeria , loja de molduras por 7 anos ( ciclos ) e Fiz Bonsai ( arte oriental ) por mais 7 anos ... sobrevivi a era Collor ... e resolvi ser eu mesmo ... Embora eu pague um alto preço por isso , hoje ,só faço o que gosto e quero !


Quais são seus interesses fora da arte?
Gosto muito da natureza , praia , água , plantas , bichos , TV e ... INTERNET !!! rs...


Como você utiliza o tempo livre?Todo o meu tempo é livre, mas estou sempre pensando em arte!
Paulo Mendes Faria dá um rico e interessante depoimento sobre sua visão da vida e sobre os percurssos de sua carreira, A longa e vitória trajetória colocou seus trabalhos em importantes coleções e museus. Paulo obrigado pela entrevista e tenho certeza da sua significativa contribuição na discussão de alguns aspectos da arte.









Um comentário: