sexta-feira, 13 de julho de 2012

Marcio Fonseca entrevista Carlos Farinha



Carlos Farinha


Quem é Carlos Farinha?
Nasci em 1971 em Portugal,os meus pais emigraram e passei a minha infância e parte da adolescência no norte da França , retornei a Portugal em 1985 para uma pequena aldeia na beira Baixa.Dois anos depois, Fui para uma escola especializada em Artes plásticas a Escola Antonio Arroio em Lisboa e depois completei o curso de escultura na faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Vivo em Lisboa com a Sofia e tenho uma menina de 12 anos.

Como a Arte entrou em sua vida?
Curiosamente foi a minha vinda para portugal em 1985 que me fez passar horas a desenhar e pintar, não sei, acho que era minha escapatória para a irreversível perda dos 15 anos, os amigos longe, parece estranho na visão de agora com a net e os telemóveis.

Como foi sua formação artística?

Foi complicado, mesmo até por vezes dolorosa...tive de esperar que um professor se reformasse para acabar o curso. Apresentei uma pintura em vez de uma escultura na avaliação final. Usava performance e insidia o meu objecto de estudo no processo e na legitimação artística.

Além do estudo sobre Arte o que ajuda em seus trabalhos?
O dia a dia é o referente essencial e principal para mim, para alem de ter um truque engraçado. Dou 2 dias por semana aulas de técnica de pintura a particulares não no sentido do mestre que ensina ao aluno mas sim aulas de cópia ,em que sou obrigado a descobrir processos de composição e estudos cromáticos sobre todo o tipo de artistas, épocas e técnicas. Cópias que me ajudam substancialmente no desenvolvimento do meu trabalho actual.

Que artistas influenciam seu pensamento?
Gosto de tantos mas devo destacar 5 que foram essenciais para o

que sou hoje e uma corrente artística o " Romantismo"

Bruglhel, adoro

Bosch, visionário

Goya o mestre

Beuys, o processo

Pierrick Sorin, não devemos nós levar demasiado a sério, mas existem tantos outros que acho um pouco redutor esta lista


Como você descreve sua obra?
Já são 25 anos de luta,é essencialmente pintura figurativa, com cores fortes e de forte cariz irónico e iconografico . Não é uma obra de ruptura ou de charneira, mas sim de autor, profundamente pessoal e a meu ver pertinente numa sociedade global e formatizada.

Você tem um belo currículo com inumeras exposições, qual delas você considera a mais significativa?
Não sei, gosto de pintar em função do público que a visita...acho que" A Grande Alface"que foi feita para os Lisboetas foi sem dúvida a mais importante, alias tive a honra de ser convidado pelo presidente da republica portuguesa para o almoço do 10 de Junho dia de Portugal, por causa dessa exposição

É possível viver de arte em Portugal?
Sim é possivel embora actualmente seja mais difícil. No meu caso não me posso queixar.

Qual sua relação com o Brasil?
Tenho familiares e amigos, o Fábio Carvalho é um grande artista e amigo. O Brasil é imenso.

O Mercado Comum Europeu ajudou a Arte?
Ajudou estruturalmente em alguns espaços expositivos, ajudou igualmente em termos financeiros e burocráticos nas trocas comerciais entre as diferentes galerias e instituições culturais sobretudo do centro da Europa mas no geral falta uma verdadeira politica cultural comum.

Que avaliação você faz da arte contemporânea em Portugal?
Temos excelentes Artistas em Portugal em vários campos de experimentação e usando um leque alargado , neste momento poderei destacar alguns o Miguel Palma, a dupla João Gusmão e Pedro Paiva, David Rosado e Alexandre Farto.Porque são alguns dos casos que conseguem ultrapassar o problema da nossa periferia face ao centro da Europa.Acho que falta ariscar mais e não ter medo de errar.

O que é necessário para ser um ícone nas artes plásticas?
Acho que muita sorte, lata e ambição e de facto ter muito talento. Não basta fazer 1 ou 2 peças boas, ser um Icone é ser transversal a sua época, Damien Hirst, Bacon, Freud, Thuymans, etc

Quais são seus planos e sonhos para o futuro?
Continuar a criar, o que me faz mais feliz e estar no meu atelier a desenvolver as minhas peças. Neste momento estou a criar uma peça que me esta a dar muito gozo " O triunfo da Morte"

Além da pintura, algum outro meio de expressão?
Já agora dou o link para o video da minha ultima performance





A grande alface, 2011. 360x200 cm. Acrília sobre tela.





Bom dia Portugal, 2011. 100x150 cm. Acrílica sobre tela.





Casa branca, 2009. 175x175 cm. Acrílica sobre tela.






Derby, 2010. 195x195 cm. Acrílico sobre tela.







Dia de passeio, 2009. 150x195 cm. Acrílico sobre tela.





Proença a nova, 2010. 180x208 cm. Acrílica sobre tela.







Voo no jardim, 2010. 150x195 cm Acrílico sobre tela.





Jardins das delícias. 150x195 cm. Acrília sobre tela.







A Beira Terra

www.carlosfarinha.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário